ÁREA RESTRITA

Mostra Black 2013!



A Mostra Black é um evento com com caráter exclusivo, com foco na sustentabilidade e na responsabilidade ambiental.  O evento está acontecendo nos cinco últimos andares de uma das torres anexas ao shopping JK Iguatemi, e, por isso, tem como aliado o mais incrível horizonte de São Paulo – plano de fundo de grande parte das ambientações. Em 3.200m² de área total e plantas diferentes em cada um dos cinco andares, os 40 profissionais convidados partiram, em sua maioria, das características do edifício que une tecnologia, arquitetura moderna e sustentabilidade para desenvolverem os seus projetos. O resultado são ambientes repletos das últimas novidades do mercado de decoração, peças de design clássicas e contemporâneas, misturas de materiais e obras de arte das principais galerias da cidade. A mostra fica disponível até o dia 09 de julho, no WTorre Plaza – JK Iguatemi, Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 2041 – Vila Olímpia. Horário de visitação: 12h às 23h (bilheteria aberta até às 22h). Vejam só os ambientes dessa Mostra inspiradora:

 

Guilherme Torres
Ao conhecer o espaço reservado para ele na mostra, Guilherme logo pensou num quarto de hotel. Empregou no piso, no teto e em algumas paredes réguas de bambu. A decoração ali é toda desmontável. “O que eu acho mais interessante é a planta", revela Consuelo Jorge. "O formato de caracol dá ao espaço um ar intimista. Essa distribuição propicia que a cada virada se tenha uma nova surpresa. A mistura de texturas é brilhante. Está aconchegante e clean ao mesmo tempo. Sou fã de carteirinha dele. Ele é ousado e criativo”. 

 

 

Consuelo Jorge
Consuelo projetou uma suíte com closet. Predominam os tons neutros, como o cinza e os marrons. Um destaque é a aplicação de triângulos verdes no teto. “Gosto muito da iluminação escolhida pela Consuelo", comenta Rafael Miliari, do escritório de Guilherme Torres. "O Ingo Maurer é um dos papas ainda vivos do design e aqui há muitas de suas peças. Também deu muito certo a mistura dos móveis, dos tecidos e texturas”.

 

 

Christina Hamoui
A tecnologia é parte integrante do projeto de Christina Hamoui. Através de telas touch screen localizam-se categorias e livros específicos nas estantes. “Achei a biblioteca muito bem pensada, feita com materiais sofisticados. Ela me mostrou a automação das luzes da estante – aquilo é interessantíssimo", avalia Fabio Morozini. "O projeto dela está ótimo na mostra, pois é fora do comum. Digo, ela fechou todas as janelas, algo que ninguém mais fez, mas tem tudo a ver com o espaço. Uma biblioteca precisa de paredes e uma pessoa precisa de paz para ler. Acho que ela foi muito feliz”.

 

 

Cândida Tabet
O espaço de Cândida talvez seja o mais minimalista da mostra. O material utilizado no piso sobe também pelas paredes até a meia altura. São grossas toras rústicas de madeira escura. A parte superior das paredes recebeu espelhos como acabamento. O grande ambiente é decorado somente com inúmeras redes de tecido simples e uma estante de livros, desenvolvida pela arquiteta.

 

 

Dado Castelo Branco
O arquiteto misturou em seu espaço o mobiliário sofisticado e em tons discreto – exceto por poltronas amarelas que ladeiam a lareira – com peças high-tech. O sistema de som, com suas enormes caixas, é um dos pontos fortes do projeto. Chama a atenção, com uma estética oposta a dos itens antes citados, a grande mesa de trabalho. Sua madeira rústica contrasta com o acabamento moderno da parede atrás dela.

 

 

Débora Aguiar
Neste espaço abundam as obras de arte e as grandes poltronas e sofás em tons terrosos. Em ambas as laterais adjacentes à janela foram instaladas grandes estantes. Comenta Fred Benedetti: “Essa estrutura de madeira dá transparência e impõe um ritmo à arquitetura – que é algo que gosto muito. Essas ripas têm leveza, mas ainda se prestam a fazer a separação de ambientes entre a circulação e o espaço da Débora" 

 

 

Fabio Morozini
Ousado, Fabio escolheu a cor vermelho para as paredes. Sobre o piso aplicou um carpete bege com relevos. “O espaço do Fabio está incrivelmente chique. Desde a produção arquitetural, que engloba itens como o carpete, o link entre cores e papel de parede, à composição sobre a mesa-bar", elogia Christina Hamoui. "É ‘capotante’. É a parte que enche os olhos. Ele conseguiu fazer de um corredor uma galeria cheia de sofisticação”.

 

 

Fernanda Marques
No ambiente de Fernanda Marques predominam as peças com formatos orgânicos e irregulares, sejam obras de arte, mesas de canto ou o próprio balcão de aço inox, desenhado pela arquiteta e materializado pela Mekal. Um detalhe interessante é a escolha de locar grandes quadros contra as fachadas de vidro – sustentados por cabos presos ao teto e ao chão. Olha-se de uma só vez a vista e a arte.

 

 

Fernando Piva
O arquiteto criou um apartamento em 65 m². O espaço é composto por sala de estar, cozinha da Kitchens, bar, biblioteca e escritório. Predominam a madeira, as texturas e as cores escuras. O destaque é a estante com iluminação indireta de LED projetada por Piva especialmente para o espaço. 

 

 

Fred Benedetti e Fernanda Abs
O espaço decorado pelo casal Fred e Fernanda evoca na mente do visitante palavras como: leveza, pureza, alvura e simplicidade. “Eu gostei da faceta arquitetônica do projeto", explica Débora Aguiar. Ele tinha um espaço difícil de ser trabalhado – um corredor – e nele foi criado um túnel. Todo o perímetro do túnel está coberto pelo mesmo material. Lembra uma gruta. Gostei muito da vinda de baixo”. 

 

 

João Armentano
O espaço destinado à João Armentano tem pé direito duplo. Ele montou ali uma sala de estar e, no outro extremo, um escritório. “A diferença de pés-direitos valoriza o espaço", comentam Adriana Helú e Carolina Oliveira, do Triplex Arquitetura. "A parte alta parece ainda mais alta, pois ao entrar no ambiente o teto é baixo. A escolha dos móveis é sempre impecável, assim como a das obras de arte. Quando entramos nos ambientes do Armentano parece que as obras foram feitas para estarem naquele local”. 

 

 

Jayme Bernardo
Tendo seu espaço incrustado entre as áreas paisagísticas de Gilberto Elkis e André Paolielo, Jayme optou por uma decoração discreta. A premissa era dar destaque ao trabalho dos dois colegas e vizinhos. Além disso, para roubar ainda mais a atenção, há ali a vista panorâmica – eles estão no ponto mais alto do prédio, na cobertura. Assim, foi eleita uma paleta de cores pouco impactante, mas aconchegante. 

 

 

Karina Afonso
O forte de Karina é a mistura incomum de peças. Enquanto o sofá cinza de traços elegantes conversa bem com a estatueta de cavalo e com a luminária Baccarat, a peça contrasta intensamente com a dupla de poltronas de acrílico com molas reveladas. Completa o décor desta sala de estar uma grande estante e uma série de quadros com imagens em preto e branco sobre a parede.

 

 

Marcelo Brito e Pedro Potaris
Como é de praxe, a decoração criada pela dupla mescla elegantemente peças inesperadas. Neste espaço reina a abundância: de cores, de tecidos, de antiguidades, de acessórios decorativos e de arte. Trata-se de um trabalho compositivo muito rico. Um dos detalhes mais interessantes é a aplicação de veludo vinho nas esquadrias metálicas das janelas. Tal truque eliminou a frieza e o caráter industrial da peça. 

 

 

Maria di Pace
O escritório decorado por Maria di Pace tem poucas e boas peças. A amplitude do espaço foi valorizada em detrimento da abundância de móveis. “Eu não havia visto o projeto antes de ontem. Quando o visitei tentei ligar, mas não consegui. Queria dizer a ela que estou realmente orgulhoso", exalta Ugo di Pace. "Porque não tem nada a ver comigo e porque a composição é de uma extraordinária qualidade. Tem a cara dela. Ela criou um ambiente com uma elegância e simplicidade que eu vi poucas vezes na vida. E não digo isso por ela ser minha filha, eu acho que os pais não devem agradar demais os filhos. Eu fiquei realmente surpreso”.

 

 

Marina Linhares
Este dormitório alongado é repleto de cores discretas que bem combinadas geram um espaço aconchegante. A arquiteta Marina Linhares optou por construir um conjunto coeso, em vez de dar destaque a algumas peças. Um dos itens com o design mais bonito é o sofá branco. Suas linhas retas levam modernidade ao ambiente.

 

 

Olegário de Sá e Gil Cioni
Embora haja muita arte no espaço de Olegário de Sá, destaca-se a instalação de cadeiras que o arquiteto fez vir do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Na paleta de cores constam tons quentes para compor o décor.

 

 

Olegário de Sá e Gil Cioni
Embora haja muita arte no espaço de Olegário de Sá, destaca-se a instalação de cadeiras que o arquiteto fez vir do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Na paleta de cores constam tons quentes para compor o décor.

 

 

Suite Arquitetos
Embora existam outras cores na composição do ambiente, o azul é predominante. Ele está na cortina, no tapete, nos bancos do bar e nas fotografias da parede. “O móvel logo na entrada é bem marcante, feito com mármore esculpido. É o mesmo mármore do piso", explicam as meninas do Triplex. "Isso é interessante, a entrada bem marcada por um belo móvel desenhado por eles. A cortina também é bonita, ela deixa ver ainda a vista, mas garante alguma privacidade. Eles misturaram materiais bastante diferentes, como cimento e mármore. Não é algo fácil de fazer, mas quando a medição é acertada fica incrível. É o que aconteceu aqui”.

 

 

Roberto Migotto
O espaço de Migotto é dividido, pois há ali duas alturas de pé-direito. Na parte de altura reduzida o arquiteto usou espelhos sobre a paede maior, para gerar amplitude. “O cinza que ele usou remete ao urbano chique", segundo Karina Afonso. "Ele conseguiu harmonizar muito bem os tons das paredes e do piso. E o galuchat foi muito bem aplicado na caixa que o Migotto criou. A utilização dos brises é um trunfo, pois eles decoram e dão dinamismo ao ambiente. E dentre as peças, gostei das mesas laterais da Erea, que mesclam latão e laca brilhante rosa bebê”.

 

 

Triplex
As arquitetas do Triplex conseguiram criar uma decoração composta por inúmeros ambientes que se completam, ainda que permaneçam independentes. “O espaço das meninas da Triplex traz jovialidade e inovação à mostra", afirma Filipe Troncon, do Suite Arquitetos. "Elas desenharam uma estante espetacular com um ótimo jogo de luz. Outra peça que adoramos foi a mesa petrificada. Mas um elemento que realmente surpreendeu foi o uso de chanfros de madeira para camuflar a janela. Esse era um dos grandes desafios do espaço: transformar a caixilharia deste edifício comercial em algo acolhedor e aconchegante”.

 

 

Ugo di Pace
Ugo di Pace criou um diferente escritório de arquiteto. A palavra chave é: único. “Eu me inspiro muito no meu pai, no seu conceito de trabalho", conta Maria di Pace. "Eu acho que o que ele tem de melhor é o garimpo de peças únicas, cheias de história, e o modo como ele as compõe. Ele tem um estilo muito pessoal, lapidado com os anos de trabalho. Seus ambientes não são meramente decorados, eles passam informações. Cada peça vem de um lugar diferente ou foi ele mesmo quem montou”.

 

 

Fonte: Casa Vogue

 

 



  • Compartilhe:



"De um traço nasce a arquitetura. E quando ele é bonito e cria surpresa, ela pode atingir, sendo bem conduzida, o nível superior de uma obra de arte."

Oscar Niemeyer

Núcleo de Arquitetura e Decoração Sul-Mato-Grossense
Rua Manoel Inácio de Souza, 1064 - Bloco A - Sala 01 | Bairro Santa Fé | Campo Grande - MS

  • REDES SOCIAIS

ENTRE EM CONTATO

(67)3327-0500